ArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchPortugueseRussianSpanish

Extrusora

Existem vários métodos de processamento térmico da soja para uso comercial. Porém, o processo de Extrusão do grão de soja é o melhor processo a ser empregado, pois atua com temperatura e pressão melhorando as características nutricionais, e também agregando muito mais benefícios a esta matéria prima.

Usa alta pressão , além da temperatura controlada . A alta pressão (até 60 atm) potencializa os efeitos da temperatura.
Como não envolve apenas tratamento térmico, mas também a pressão, na Extrusão ocorre um rompimento das paredes celulares do grão, o que origina um aumento da digestibilidade e da energia metabolizável de óleo, gerando mais benefícios quando comparado a soja Extrusada com a soja sob outros processos (torrada, por cozimento ou processada à vácuo).
A alta pressão provoca , também, o rearranjo de proteínas, expansão e reestruturação de componentes nutricionais e a expansão exotérmica das partículas.
Esta alta pressão provoca a trituração do grão e , depois, o alívio promove a expansão, melhorando a textura do produto e, por conseqüência, a digestibilidade e a palatabilidade.
A Extrusão é um processo altamente controlado e minimiza a reação de Maillard, evitando “queimar” o produto, danificando-o e provocando efeitos adversos (como ocorre comumente em outros processos , como nos torradores). A Extrusão é um processo STHT (Short Time High Temperature) onde o curto tempo de retenção (7 a 30 segundos) dentro do extrusor não é longo o suficiente para que ocorra danos ao produto.
A operação sob baixa temperatura (como nos processadores simples à vácuo ou cozimento) e sem pressão, não permite provocar os diversos efeitos benéficos além da inativação dos fatores antinutricionais, redução da urease e de alguns microorganismos. Enquanto que a extrusão provoca os seguintes benefícios :

BENEFÍCIOS ESTABELECIDOS, CONHECIDOS E EXTENSAMENTE PROVADOS :

Inativa diversos fatores antinutricionais (tripsina, quimiotripsina, hemaglutininas e saponinas).
Minimiza o teor e o efeito indesejável da urease.
Reduz as lectinas, que causam interferência na absorção de nutrientes.
Destrói a lipase e a lipoxigenase que promovem rancificação.
Reduz os fatores alérgicos (glicinina e ß-conglicinina).
Libera os antioxidantes naturais (tocoferol e fosfolipídio) existentes no grão da soja.
A pressão rompe as células e aumenta a biodisponibilidade do óleo.
Gelatiniza o amido , quando há adição de componentes amiláceos , melhorando a digestibilidade do produto.
Reestrutura proteínas e amplia a sua digestibilidade. Resulta em alto nível de proteína by-pass.
Minimizam o efeito dos polissacarídios não amiláceos solúveis, que causam diminuição no desempenho dos animais.
Possui controles que evitam a Reação de Maillard .
Melhora a disponibilidade dos carbohidratos da soja através do rearranjo da estrutura da parede celular .
Resulta exclusivamente em proteínas e aminoácidos de alta digestibilidade .
Muito saborosa, sendo desejada de imediato pelos animais. Nenhuma resistência e sim bastante apetite. Seu aroma e textura são inigualáveis e sua atração é óbvia.
Fluidez satisfatória em silos , transportadores e alimentadores ; isto é devido ao baixo nível de água residual, o poder de agregação e o aspecto granular.
Reduz muito a formação de pó nas rações ; novamente devido à estrutura granular sem igual e ao seu conteúdo em óleo.
Pode-se considerar um bônus de 2 a 3% de todos os nutrientes, como conseqüência da redução na umidade original. A soja Extrusada é aproximadamente 90 a 91% sólidos ativos, versus 88% em Farelo de soja convencional.
A ruptura das células, moldando e texturizando provocam uma inigualável “pré-mastigação” , aumentando significativamente a digestibilidade.
A alta pressão da Extrusão permite alta eficiência na redução dos fatores anti-nutricionais e de atividade antigênicas da proteína de soja.
A esterilização é superior a qualquer outro método de processamento , novamente devido à alta temperatura e pressão no processo, provocando destruição de bactérias, virus, leveduras e fungos.

A alta pressão gerada na extrusora, pela passagem do ingrediente pelos anéis de restrição, eleva a temperatura para 138 a 150 oC, sendo suficiente para provocar rearranjo na estrutura celular, desnaturar fatores antinutricionais e romper as células de óleo.
Quanto aos principais aminoácidos, o excesso de calor (comum em outros métodos) provoca perda de disponibilidade e a falta de calor diminui a digestibilidade e aproveitamento. Portanto, é fundamental o uso de processo e equipamento, como a Extrusão, que permitam o controle do tempo e da temperatura adequada ao processamento.
O processo de Extrusão na Soja, como não envolve apenas tratamento térmico, mas também alta pressão (até 60 atm), provoca o rompimento da fração fibrosa (que compõe as paredes celulares do grão) e o rearranjo da estrutura celular; aumentando a digestibilidade com consequente ampliação da capacidade de aproveitamento de diversos nutrientes ; além de provocar também uma quebra das micelas de gordura , onde boa parte do óleo presente na soja fica contido, permitindo um aumento da energia metabolizável. Estes são efeitos adicionais importantes que amplia as vantagens da Soja Extrusada quando comparada à soja submetida a outros processos (tostada, processada à vácuo ou cozimento).
Facilidade para prensar e extrair o óleo , com menor consumo de energia.
O alto teor de gordura do Grão de Soja faz com que sua energia metabolizável seja superior à do Farelo de Soja. Essa é a principal vantagem do grão de soja, pois além de possuir alta proteína, também tem um nível elevado de energia ; o qual favorece o seu uso em rações, facilitando o manejo quando comparado à necessidade de adição de óleos vegetais e gordura animal para aumentar a energia das rações. Mas, um grande benefício da extrusão ocorre com a energia metabolizável da Soja Extrusada em relação a outros tipos de processamento. No processo tradicional de tostagem e nos processamentos simples por vácuo ou vapor, boa parte do óleo presente na soja fica contido em micelas de gordura, cujo aproveitamento é bastante difícil de ser feito pelo organismo dos animais, principalmente das aves e dos suínos. Com a Extrusão, estas micelas de gordura são quebradas. Dessa forma, a energia nelas contida é aproveitada por completo pelos animais.
O processamento através da Extrusão torna o óleo mais resistente à rancidez e , assim, permite manter uma ótima qualidade na ração. O Óleo de Soja Extrusada é altamente digestível e tem um longo tempo de conservação armazenado. Pesquisas demonstraram que no farelo de soja Extrusada o nível de ácidos graxos livres e valor de peróxidos mantiveram-se inalterados até 60 dias de armazenamento; comprovando que as amostras foram assim protegidas pela presença de tocoferol natural liberado pela Extrusão.
A Soja Extrusada preserva a LECITINA no seu óleo ; a qual não está presente no óleo de soja degomado adquirido das indústrias de esmagamento , pois é retirada no processo de degomagem do óleo de soja. A presença de LECITINAS nas rações é uma fonte de colina, inositol, e fósforo. Tem diversas propriedades nutricionais e funcionais, como emulsionar a gordura para melhorar a digestão e a eficiência da alimentação animal.
Para ruminantes , a extrusão da soja é muito mais benéfica que outros processos. Pois, além das vantagens já relatadas, sob o efeito da temperatura e da pressão dentro do Extrusor as cadeias protéicas são desnaturadas, tornando a Soja Extrusada com alto nível de proteína bypass.
Em bovinos , não só a quantidade mas a qualidade da proteína é muito importante. Uma fonte de proteína com alto by-pass (como da Soja Extrusada) é essencial por muitas razões. Com o rúmen dificultando a passagem de proteínas microbianas para o abomaso e duodeno , fazendo com que as proteínas solúveis no rúmen cheguem lá em menores quantidades, logicamente é muito bem-vindo o uso de proteína de alto by-pass para ser absorvida diretamente no intestino. As pesquisas também demonstram que níveis excessivo de proteína solúvel no rúmen causa excesso de amônia e eleva o pH , principalmente quando tem uréia adicionada na dieta. Isto pode provocar a formação de complexos insolúveis de cálcio e magnésio com o fósforo, ocasionando menor disponibilidade destes íons e colaborando para a ocorrência de hipocalcemia e hipomagnesemia com suas consequências prejudiciais.

Quando há diminuição do apetite (pelo stress , por exemplo) ou adaptação a uma ração, a palatabilidade é ponto chave para evitar a redução do consumo de ração. E a Soja Extrusada é de alta palatabilidade, estimulando o consumo naturalmente.

A soja Extrusada possui um aroma agradável, palatabilidade atraente e uma textura que estimula o consumo. Portanto , permite redução de recusa de ração , aumenta a ingestão e resulta em melhor desempenho do animal.
O sistema de Extrusão de Soja é compacto e de fácil operação , ajustando-se bem dentro das operações na fábrica de ração.
Vale salientar que a desativação dos fatores antinutricionais pelo tratamento térmico simples de tostagem e outros processos (vácuo ou cozimento), promovem apenas uma relativa desativação e favorece um pouco a digestibilidade de alguns nutrientes presentes no grão da soja. Por outro lado, como a tostagem não é um processo com controles rigorosos, o superaquecimento pode levar a desnaturação das proteínas presentes no grão ou farelo, a oxidação do enxofre dos aminoácidos sulfurados e a reação da lisina com grupos aldeído, formando um complexo indisponível, além da redução da energia metabolizável, resultando em perdas na digestibilidade e na disponibilidade de alguns nutrientes. A tostagem é menos efetiva que a extrusão na inativação dos compostos termolábeis; além de provocar perda excessiva de umidade. E o aquecimento insuficiente, de outros processos, gera despesa só para inativar alguns fatores antinutricionais sem contribuir para melhorar a digestibilidade e a disponibilidade de nutrientes.

Em resumo , na soja Extrusada, além dela ser desativada dos fatores anti-nutricionais e de outros indesejáveis , ela é triturada e tem melhor textura (mais palatabilidade), tem a estrutura celular rearranjada (mais digestibilidade), o potencial de rancidez é reduzido (aumenta a conservação), o óleo torna-se mais disponível (aumenta a energia); entre diversos outros benefícios .

Portanto, não adianta adquirir soja de alta qualidade e utilizar equipamentos ineficientes, realizando um super ou subprocessamento , comprometendo a digestibilidade dos nutrientes e a inativação dos fatores indesejáveis.

Vários outros métodos de processamento tem sido utilizado (Tostagem, Cozimento , À Vácuo, etc…), sendo importante avaliar a sua capacidade de controle do processo para não danificar a matéria prima e não permitir que ocorra a reação de Maillard, que produz um complexo amino-açúcar resistente à hidrólise enzimática, ou outras reações indesejáveis.

A Tostagem, o Cozimento por Vapor ou Vácuo e outros tipos de processamento que mantém a integridade física dos grãos, não são suficientes para quebrar as paredes de micelas e tornar todo o óleo prontamente disponível.

A Soja EXtrusada tem milhares de pesquisas realizadas em diversos países , enquanto que a soja processada por outros métodos (Tostagem, Cozimento , À Vácuo, etc…) tem pouquíssias, ou quase nenhuma, pesquisas científicas à seu respeito. Portanto, a Soja Extrusada possui dados confirmando sua qualidade e seus benefícios através de cientistas em Universidades, Empresas e Institutos, e não pelos próprios fabricantes do equipamento.

Home > Equipamentos > Extrusora